Digite aqui o assunto que busca

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Turismo na China - Beijing depois de 2008

Resultado de imagem para pequim mapa

Beijing do século XXI se remodelou para sediar as Olimpíadas de 2008. De lá para cá, ficou mais acessível e receptiva aos viajantes estrangeiros. Se ainda é difícil se comunicar em mandarim, dá muito bem para se virar no inglês. Apesar do contínuo progresso, a metrópole não perdeu suas raízes e a identidade cultural do antigo império chinês. Passear por ela continua sendo uma viagem no tempo, pois os tradicionais artesãos e as pessoas a bordo da velha e boa bicicleta coexistem com os grandes empreendimentos comerciais e as constantes novidades tecnológicas.

Resultado de imagem para pequim turismo

INFORMAÇÕES ÚTEIS:



Clima
No verão (entre os meses de julho e agosto), as temperaturas médias superam os 30°C; no inverno (de novembro a fevereiro) os termômetros caem para até -10°C

Fuso Horário
(UTC +8) 11 horas à frente do horário do Brasil

Idioma
Mandarim

População (26.06.2017 17:18:20)
1 386 038 700
População atual
710 251 913
População masculina atual (51.2%)
675 786 787
População feminina atual (48.8%)
8 273 461
Nascidos neste ano
33 711
Nascidos hoje até às 17h18


Território
16.411 km²

Voltagem
220 V

Código Telefônico
010

Moeda
Yuan

Tomadas

CULTURA

00204343.jpg?w=555&fit=crop&auto=compress%2CformatA China é um dos berços da humanidade. Logo, sua capital guarda os principais tesouros e monumentos dessa cultura milenar, como a Cidade Proibida e a Muralha da China. Pequim soube, ao mesmo tempo, preservar a tradição enquanto se modernizada, e hoje é o centro cultural do país. A cidade está repleta de universidades, templos, espetáculos acrobáticos, teatrais, óperas, galerias e museus. Nas artes, valoriza-se a caligrafia tanto quanto a pintura, antiga ou contemporânea.
Muralha da China
Em geral, os trabalhos expostos refletem os costumes, superstições e aspirações locais. Os melhores acervos de arte estão no National Art Museum of China, no complexo de galpões 798 Dashanzi Art District e no Gudai Jianzhu Bowuguan (Museu de Arquitetura Antiga). Na categoria futurista, há um incrível museu que as crianças adoram, o China Science and Technology Museum.
Para conferir as principais apresentações artísticas na cidade, duas casas se destacam. O Teatro Chaoyang é o palco da Trupe Acrobática da China, o maior grupo de acrobatas do país, e o Teatro Liyuan hospeda a aclamada ópera de Pequim.
Resultado de imagem para theatre chaoyang beijing

O QUE FAZER

O que fazer em Pequim? Passear pelos pontos históricos da metrópole é praticamente uma obrigação para o viajante. Não há como ignorar a Cidade Proibida nem a Grande Muralha da China, considerados patrimônio da humanidade pela Unesco.
Resultado de imagem para cidade proibida wallpaper
O primeiro, situado no centro, é o complexo de palácios construído em 1406 pelo imperador Yongle, da Dinastia Ming. Lá só viviam imperadores, seus familiares e criados. Os cidadãos não passavam do portão, daí a origem do misterioso nome.
Resultado de imagem para muralha da china wallpaper
Já a segunda construção é algo monumental. Erguida entre os anos 5 a.C. e 16 d.C., a Muralha da China percorre mais de 5.300 quilômetros de extensão. Os trechos mais visitados e próximos de Pequim são o Badaling (mesmo trajeto das Tumbas Ming) e o Mutianyu, ambos a cerca de uma hora e meia em ônibus de excursão. Os com espírito explorador, por sua vez, gostam dos trechos mais distantes e selvagens, como Simatai e Jinshanling.
Prepare as pernas para caminhar mais pelos outros cartões-postais da capital chinesa. Deixe-se fotografar na emblemática Praça da Paz Celestial(Tian'anmen Square). Do tamanho de 63 campos de futebol, é a maior praça pública do mundo, sendo também palco de variadas performances artísticas.
Resultado de imagem para Tian'anmen Square wallpaper
Aos que admiram arquitetura religiosa, Templo do Céu é o maior ícone da China. Ele é formado por três edifícios principais e possui um agradável parque anexo. Um pouco mais afastado do centro, o Palácio de Verão merece constar no roteiro de visitas. O conjunto palaciano tem mais de 800 anos de idade e abriga belos jardins, monumentos e um grande lago.
Resultado de imagem para templo do céu wallpaper
Resultado de imagem para templo do céu wallpaper
Por fim, aproveite para conhecer os hutongs, bairros típicos formados por um labirinto de ruas antigas e explore o emergente bairro Chaoyang, onde está o Parque Olímpico.

COMIDA

Resultado de imagem para pato de pequimNo quesito gastronomia, Beijing evoluiu muito nos últimos tempos. Hoje, a cidade possui bons restaurantes de comida regional, que vai dos pratos apimentados da região de Sichuan até os frutos do mar adocicados de Xangai. Mas a grande especialidade local, carro-chefe em muitos cardápios, é com certeza o pato assado fatiado e acompanhado de panquecas. 
Resultado de imagem para Malian DaoOs restaurantes mais famosos para essas e outras iguarias são o Fangshan, existente desde 1925 no parque Beihai, e o Quanjude, que tem várias filiais na cidade. Já nos grandes hotéis é possível degustar outros pratos da culinária asiática, sobretudo da Rússia, da Índia e do Vietnã.Quem quiser emoções ainda mais fortes não deve deixar de provar as exóticas iguarias à base de insetos ou escorpião, vendidas em barracas de rua. Depois, é só fazer a digestão na Malian Dao, tradicional rua de casas de chá, com as mais diferentes ervas chinesas.

NOITE

00227078.jpg?w=555&fit=crop&auto=compress%2Cformat
Resultado de imagem para pequim a noite
Se Shanghai sempre foi a mais agitada das metrópoles chinesas, Pequim também não tem ficado para trás, mudando um pouco a fama de cidade que só trabalha. A região ao redor do Estádio dos Trabalhadores, no bairro Chaoyang, concentra quase todos os bares e baladas. As da rua Lotus ficam sempre lotadas. Para saciar o apetite de quem passa a noite fora de casa, a região conta ainda com muitos restaurantes e lanchonetes abertos 24h.

TRANSPORTE

Como o trânsito na cidade é caótico, uma das melhores maneiras de se locomover é de táxi. O preço é bem acessível, mas sempre tenha em mãos o endereço do destino escrito em mandarim, no caso do motorista não entender inglês.
Já o transporte público tem melhorado e se tornado bastante eficiente. metrô foi ampliado e, além de rápido e barato, se conecta ao trem de superfície. Em todas as estações, há avisos e comunicações visuais em inglês, o que facilita a vida do viajante ao andar pela capital chinesa. Graças às Olimpíadas de 2008, até os ônibus foram modernizados, a maioria movida a gás e até com TVs de plasma. Só não pense nessa opção de transporte na hora do rush. Aliás, para driblar os congestionamentos, as bicicletas têm ganhado cada vez mais adeptos nas ruas de Pequim.
00204353.jpg?w=555&fit=crop&auto=compress%2Cformat

COMPRAS

Em Pequim, como em toda a China, a regra básica é barganhar, principalmente nos mercados ou lojinhas de rua. Para isso, uma das principais vias comerciais da cidade é a Nurenjie, cujo nome em mandarim significa “rua das mulheres”, no bairro de Chaoyang. Nela, há um mercado subterrâneo cheio de lojinhas de móveis e roupas, além do principal mercado de flores da cidade. Na mesma vizinhança, encontra-se o popular mercado Yashou, ideal para comprar jeans, bolsas, sapatos e eletrônicos – todos piratas, é importante ressaltar.
Resultado de imagem para Nurenjie beijing
Resultado de imagem para Gate Fashion Mall beijing
Do comércio de rua, siga para os grandes shoppings. Há mais de 80 deles na cidade, muitos em Chaoyang. O Gate Fashion Mall é dos mais badalados. Suas lojas de marcas nacionais e internacionais têm preços mais salgados. O mesmo vale para o Place, que exibe uma das maiores telas digitais do continente na praça de alimentação. O Ri Tan Shangwu Lou não fica atrás e é um centro de compras para roupas, calçados e acessórios de alta qualidade. Outro concorrente de peso é o Oriental Plaza Mall, este na Wangfujing, região próxima à cidade antiga. Mas nada supera o Village Sanlitun, conjunto formado por 250 lojas, oito cinemas, hotel-design, galeria de arte, 30 restaurantes e bares e uma grande praça para shows.
Resultado de imagem para sanlitun village beijing
Fonte: Internet

Metrô de Beijing testa migração do cartão de transporte único para o celular


A partir de hoje (26/06) os habitantes de Beijing passam a poder adentrar ao metrô recorrendo ao seu celular.
As autoridades responsáveis pelos transportes da capital deram hoje início a um programa de testes do acesso ao metrô através de um aplicativo de celular. A primeira fase compreende apenas a linha Fangshan.
De acordo com as autoridades do metrô, o serviço “celular cartão único”, visa otimizar as funcionalidades do cartão de transportes, permitindo que os residentes não tenham obrigatoriamente que se fazer acompanhar pelo cartão e, assim, resolver a maçada provocada pelo esquecimento do cartão físico.
Fonte: Diário do Povo Online

Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai

China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai


BEIJING, 26 de jun  – A China colocará hoje (26) em operação dois novos modelos de trem-bala na ferrovia de alta velocidade Beijing-Shanghai.

O modelo CR400AF irá partir da Estação Ferroviária Sul de Beijing às 11h05 e viajará para Shanghai. O modelo CR400BF partirá em simultâneo da Estação Hongqiao de Shanghai com destino a Beijing, de acordo com a China Railway Corp., a operadora estatal de transportes ferroviários da China.
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
Em uma cerimônia de nomeação realizada no domingo em uma unidade de manutenção no distrito de Daxing, em Beijing, Lu Dongfu, diretor-geral da China Railway Corp., anunciou que os novos trens teriam o nome de "Fuxing” (Rejuvenescimento).
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
O caminho ferroviário de alta-velocidade supramencionado é o mais movimentado do país, com uma média de transporte de cerca de 505 mil de passageiros por dia.
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
Os novos trens foram desenvolvidos com base em padrões e tecnologias ferroviárias da China e projetados para melhor se adaptarem ao meio ambiente e necessidades de transporte ferroviário do país, disse Lu.
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
Os trens viajarão a uma velocidade de cerca de 350 quilômetros por hora, embora a sua velocidade máxima seja 400 km/h, de acordo com os designers da Academia Chinesa de Ciências Ferroviárias.
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
Em comparação com trens-bala atualmente em serviço, os novos trens têm uma vida útil mais longa - poderão operar por 30 anos, enquanto os congéneres existentes apresentam uma longevidade de 20 anos.
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
Com um design aerodinâmico, os novos modelos possibilitam um menor consumo de energia e mais espaço para cada passageiro, disse Zhang Bo, designer da Academia Chinesa de Ciências Ferroviárias.
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
He Huawu, engenheiro-chefe da China Railway Corp., disse que a empresa substituirá gradualmente todos os trens-bala ao serviço por modelos equivalentes adaptados às necessidades domésticas. “A medida reduzirá gradualmente os custos de produção, operação e manutenção, e favorecerá a exportação de nossos equipamentos e tecnologias ferroviárias”, concluiu. 
China: Novos trens-bala entram em circulação entre Beijing e Shanghai
Fonte: Diário do Povo Online

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Jiaozi, uma das delicias da culinária chinesa

Resultado de imagem para JiaoziA história
Na China, existem várias lendas que explicam a origem do jiaozi e do seu nome.
Parece que foram ‘inventados’ durante a dinastia Han Oriental (AD 25-220) por Zhang Zhongjing, que era um grande praticante da medicina tradicional chinesa. Os Jiaozi receberam o primeiro nome de “orelhas ternas” (娇 耳 –  jiao’er), porque eles foram usados para ajudar as pessoas a esquentarem suas orelhas no inverno. 
Resultado de imagem para JiaoziMas, reza a lenda que Zhang Zhongjing estava a caminho de casa durante o inverno, quando percebeu que muitas pessoas comuns tinham ouvidos gelados, porque não tinham roupas quentes e comida suficiente. Ele então preparou um guisado de cordeiro com pimentas e algumas ervas medicinais em uma panela, e usou para rechear a massa tradicionalmente usada na culinária chinesa. Colocou os jiaozi para cozinhar num caldo temperado e distribuiu para as pessoas. Isso ocorreu perto do ano novo chinês, a época mais fria do ano.
Resultado de imagem para Jiaozi
Mais tarde, a fim de celebrar o Ano Novo, de uma forma que aquece o corpo, inclusive as orelhas, as pessoas começaram a copiar a receita de Zhang para fazer Jiao’er.
Outras teorias (sabem como é a sabedoria popular, sempre tem uma história interessante para tudo) sugerem que jiaozi pode ter derivado de bolinhos asiáticos. Na dinastia Han ocidental (206 BC – AD 9) jiaozi (饺子) foram chamados Jiaozi (角子) .
Resultado de imagem para JiaoziDurante o período dos Três Reinos (AD 220-280), o livro Guang Ya, escrito por Zhang Yi, menciona jiaozi. Yan Zitui, durante a dinastia Qi (550-557 dC) escreveu: “Hoje, o jiaozi, em forma de lua crescente, é um alimento comum no mundo”. Mais tarde, na dinastia Tang (AD 618 – 907), o jiaozi se tornou mais popular, chamado Bian Shi (扁食).
Resultado de imagem para Jiaozi
O formato do jiaozi também é semelhante ao ‘yuan bao’ usado como moeda durante a Dinastia Ming, e por essa semelhança com o formato da antiga moeda chinesa, eles acreditam que esse bolinho traz a prosperidade. É muito comum servirem os jiaozi no jantar da véspera do ano novo chinês. Também é comum esconderem uma moeda limpa dentro de um jiaozi para que alguém encontre e, claro, será a pessoa mais sortuda da festa!
Resultado de imagem para JiaoziHoje em dia, jiaozi são servidos durante todo o ano no café da manhã, almoço ou jantar. Eles podem ser servidos como um aperitivo ou como o prato principal. Algumas vezes podem ser  o último prato da refeição. São cozidos no vapor, em cestas especiais de bambu e servidos com de molho de soja e gengibre. Os recheios variam muito: de carne a legumes, tudo que você imaginar.

Fonte: Internet




Aplicação da Medicina Chinesa.


Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) também conhecida como medicina chinesa (em chinês: Zhõngyí xué, ou Zhõngao xué), é a denominação usualmente dada ao conjunto de práticas de Medicina Tradicional em uso na China, desenvolvidas ao longo dos milhares de anos da sua história.

Resultado de imagem para medicina tradicional chinesa

A Medicina Chinesa (MTC) fundamenta-se numa estrutura teórica sistemática e abrangente, de natureza filosófica. Tendo como base o reconhecimento das leis fundamentais que governam o funcionamento do organismo humano, e sua interação com o ambiente segundo os ciclos da natureza, procura aplicar esta abordagem tanto ao tratamento das doenças quanto á manutenção da saúde através de diversos métodos.

Sempre vista como tratamento alternativo e complementar a medicina alopática, a milenar Medicina Tradicional Chinesa (MTC) vem ganhando respeito e milhares de adeptos a cada dia.


yin-yang-medicina tradicional chinesa
A Medicina Tradicional Chinesa se fundamenta numa estrutura teórica sistemática e abrangente, de natureza filosófica. Ela inclui entre seus princípios o estudo da relação de yin/yang, da teoria dos cinco elementos e da teoria da energia vital do corpo – chi ou qi. Tendo como base o reconhecimento das leis fundamentais que governam o funcionamento do organismo humano e sua interação com o ambiente segundo os ciclos da natureza, procura aplicar esta compreensão tanto ao tratamento das doenças quanto à manutenção da saúde através de diversos métodos.


Cinco elementos 


Resultado de imagem para cinco elementos acupuntura

Energia vital


chi ideogramaDeram a energia universal o nome de Chi ou Qi em chinês. Qi é a energia que vem do ar e alimenta a todos os seres vivos, inclusive plantas, minerais, animais. No ser humano, além do Qi que vem do ar e respiramos, existe o Qi herdado dos nossos pais, e o Qi de tudo que comemos ou bebemos. Cada órgão humano tem um Qi diferente, que interage com os demais.
 O Qi do ar e o Qi dos alimentos se misturam e então é chamado de Qi do Fogo. É o Qi do Fogo que nos faz viver e esse Qi precisa ter qualidade, tanto do ar que respiramos quando dos alimentos que ingerimos (e a relação com os cinco elementos).
Pessoas que respiram mal ou não sabem respirar e ou comem mal produzem baixa qualidade de energia (Qi do Fogo) e assim se candidatam ao enfraquecimento e às doenças.
Fonte: Internet

O espírito das ruas de Hong Kong

“Gang wei”, que significa literalmente “ao gosto de Hong Kong” é um conceito frequentemente utilizado, mas quase impossível de definir. Ninguém consegue descrever concretamente qual é o gosto, mas este pode ser encontrado por toda a cidade.
Com a chegada do 20º aniversário do retorno de Hong Kong à pátria, apresentamos uma série de fotografias sobre as ruas de Hong Kong que demonstram o espírito da metrópole.
- Rua Hollywood
Construída em 1844, a Rua Hollywood, a segunda rua mais antiga em Hong Kong, era o lugar onde os comerciantes chineses realizavam trocas comerciais de antiguidades e artefatos com os europeus. Hoje em dia, a rua tem uma grande variedade de galerias de arte e lojas de antiguidades.


- Rua Fa Yuen
A Rua Fa Yuen é onde os jovens de Hong Kong vão comprar calçados da moda desde os anos 80. Nesta rua de cerca de 150 metros, existem mais de 40 sapatarias e lojas de roupas desportivas.

- Rua Temple
A Rua Temple é famosa pelo seu movimentado mercado noturno, que é popular entre os turistas e habitantes locais.


- Lan Kwai Fong
Lan Kwai Fong é um dos locais mais populares de vida noturna em Hong Kong, onde existem mais de 90 restaurantes e bares.


- Rua Apliu
A Rua Apliu em Kowloon tem um grande mercado de equipamentos eletrônicos, componentes elétricos e itens relacionados.

- Rua Tung Choi
A Rua Tung Choi, também conhecida como a "Rua das Mulheres", obteve tal designação devido à grande quantidade de roupas e acessórios para mulheres de todas as idades.

Hong Kong (2n)

Fonte: Diário do Povo Online / Roteiro e Dicas: Chinatur